Poema no divã

Poeta no divã

(para Adélia Prado)

Agora que enlouqueci
posso falar:

Vaca é que nem gente
e a gente come a carne dela!

E eu acho muito esquisito ser gente;
que mora em prédio,
uma em cima da outra.

Ai, ai, e esse pessoal que anda de avião!!!
Não tem juízo.

Fizeram uma ponte que passa por cima do rio!
E um túnel que passa por baixo!!!!!
Eu não entro de jeito nenhum.

Em elevador eu só entro acompanhado,
pra caso pare.
Mas se tiver muita gente
eu fico sufocado.

Tenho medo de rato,
mas só do rabo;
na cabeça eu até passo a mão.

Já pensei em comer fezes,
mais de uma vez.

E imaginei como seria
se um carro passasse por cima de mim.

Tenho medo de borboleta,
mas só da que voa.

E se vejo formiga de asas
fico sem comer três dias, à toa.

Que que tem a minha mãe?

Morreu.