Recados do poeta

Olá, meus amigos.

Aqui, vou poder deixar alguns recados pra vocês, contar sobre o que tenho feito, visto, sentido, vivido...

Um grande abraço,

16 de novembro 2010

Sogyal Rinponche esteve no Brasil. Fui ouvir o que ele tinha a nos ensinar. É autor de um dos livros da minha vida, que ainda não terminei de ler, sei bem... "O Livro Tibetano do Viver e do Morrer", que ganhei da Carminha (cantora Carmen Queiroz) num momento muito difícil pra mim...

Entre os ensinamentos básicos do autor, se entendi bem, alguns são que:

aprender a morrer é o único jeito de aprender a viver... ou seja, sem encarar a morte como um fato certo no futuro, não é possível aprender a viver,

a morte é como se fosse um espelho que nos coloca diante de nós mesmos, daí termos tanto medo desse momento, é o momento em que teremos de prestar contas, em que só teremos realmente paz se estivermos realmente em paz com a nossa consciência,

aprender a morrer (e portanto a viver) consiste numa medida muito grande em aprender a se desapegar de tudo o que é passageiro, efêmero...

aprender a morrer e aprender a viver se confundem, afinal...

Além disso, Rinponche afirma que existe sim algo em tudo e em nós mesmos que é permanente e que podemos e precisaremos estar nele em algum momento...

Enfim, coisas que não saem mais da gente depois que a gente aprende... Não saem jamais...

Da minha parte, estou tentando aprender...

Pra mim, interessa cada vez mais a poesia, que tenho pra mim são as palavras que produzem o silêncio, arte pra mim é isso, pura expressão e silêncio, ainda que seja literatura, ainda que seja música... a arte é aquilo que traz você pro centro de você mesmo, pro único lugar em que você pode encontrar salvação... e em que você pode respirar completamente, totalmente.

Obrigado!

Abraços.